Doenças associadas a alterações na barreira cutânea


São muitas as doenças de pele que têm ligação com a barreira cutânea, porém grande parte delas está relacionada com a deficiência imunológica do indivíduo, a falta de hidratação da pele e os processos inflamatórios. A nutrição pode colaborar de forma muito positiva para reequilibrar os sistemas e, consequentemente, a pele.

O estudo da barreira cutânea e de suas propriedades ganha impulso somente a partir da década de 1960, com pesquisas que apontaram sua resistência de forma isolada e suas propriedades com relação à permeação cutânea, assim, avaliando a manutenção e estabilidade da camada córnea (primeira camada da epiderme).

Nos dias de hoje, há evidências consistentes de que o estrato córneo é uma estrutura metabolicamente ativa e que exerce funções adaptativas, bem como de que a barreira cutânea, igualmente, tem um papel na resposta inflamatória, com ativação de melanócitos (células de pigmentação), angiogênese e fibroplasia, cuja intensidade depende, basicamente, da intensidade da agressão.

A pele é uma importante parte do sistema imunológico, pois age como fronteira primária entre os micro-organismos e o corpo. Quando se apresenta íntegra, é resistente e, geralmente, impermeável a bactérias e vírus, pois secreta substâncias antibacterianas, ou seja, suas próprias defesas. O sistema imunológico da pele é configurado pelos queratinócitos, mastócitos, células endoteliais e linfócitos T.

Na epiderme, encontramos as células de Langerhans, componentes importantes para alertar o sistema imunológico. Essas células são ramificadas e localizam-se em toda a epiderme, mais especificamente entre os queratinócitos. São células fagocíticas, que apresentam antígenos do sistema imunológico, com características semelhantes as dos macrófagos, porém localizam-se predominantemente na epiderme. Por possuir receptores para mediadores químicos, seu número aumenta nas doenças inflamatórias da pele, como uma reação de defesa.

Na derme, cujo componente principal é o tecido conjuntivo, encontram-se as principais células do sistema imune, que são os macrófagos, leucócitos e mastócitos.

Algumas pessoas apresentam o sistema imune não como um patrulheiro, mas sim como “vilão”, pois passa a produzir anticorpos contra antígenos inofensivos, como pólen e alguns alimentos, assim, desencadeando manifestações como urticárias ou asma brônquica. Nesse caso é temporário, retira-se o contato e trata-se com medicamento para sair da crise.

Algumas condições do organismo facilitam o aparecimento de doenças de pele, como deficiência nutricional, sistema imune de baixa resposta, dieta desequilibrada, estresse, questões emocionais e psíquicas, mas não se pode desconsiderar o fator genético do paciente.

Um indivíduo com a pele bem hidratada e nutrida garantirá qualidade na jovialidade da pele e na prevenção de algumas doenças, mas as questões emocionais, muitas vezes, têm maior peso, assim, fazendo com que apareça o problema ainda em indivíduos jovens. É necessário entender que muitas doenças não podem ser evitadas, mas o papel da nutrição é nutrir e prevenir sempre que possível.

Uma dieta rica em nutrientes e antioxidantes auxiliará em suas defesas, como o caso do zinco e da vitamina A, que atuam ativando mitoses na camada basal e auxiliando a regeneração da pele nos processos de cicatrização. A deficiência de vitamina A pode levar à xerose, o que prejudica ainda mais qualquer problema de pele. Além de modular a expressão de genes da queratina, fator de crescimento da epiderme e colágeno, por esse motivo, deve ser analisada bioquimicamente e na dieta.

O silício (ácido ortossilícico) e colágeno hidrolisado podem auxiliar na qualidade da matriz dérmica e, de forma indireta, na qualidade da pele, bem como em algumas possíveis doenças de pele. Quanto ao ômega-3, que é um anti-inflamatório importante para o tratamento de doenças e lesões de pele, deve-se avaliar o seu consumo pela dieta e, quando necessário, suplementar para garantir o estoque no tecido adiposo e sua ação eficaz.

Muitos nutrientes são específicos para cada doença, porém o olhar da nutrição deve estar, também, na redução de açúcares simples, alérgenos alimentares e ambientais, no consumo excessivo de ômega-6, na deficiência ômega-3 na dieta, na deficiência de fitoquímicos e antioxidantes, na deficiência vitamina D, no estresse e estresse oxidativo. O nutricionista contemporâneo olha o todo, e não somente o problema a ser solucionado.

Seguem algumas doenças ou lesões de pele para conhecimento:

- Dermatite alérgica ou dermatite de contato: tipo de reação inflamatória que ocorre devido ao contato da pele com um agente irritante, pode ser um eczema por irritante primário ou eczema alérgico. São reações da pele mediadas por mecanismos imunológicos, podendo ser causadas por substâncias inorgânicas, orgânicas, vegetais ou sintéticas. O uso de filtro solar, hidratante perfumado, desodorantes e perfumes pode ser agressivo e desencadear alergias. No verão, as alergias são mais comuns e, ainda, com a exposição solar, tornam-se mais acentuadas.

- Dermatite seborreica (DS): doença inflamatória bem comum, crônica, com reincidência de acordo com o estado emocional do paciente, caracterizada por placas eritematosas e recobertas por escamas de várias formas e tamanhos. O termo seborreia se refere à aparência oleosa da pele, formação de sebo. As lesões se desenvolvem em áreas ricas em glândulas sebáceas e com o aumento da atividade e produção de sebo, que usualmente se distribui na face, couro cabeludo, axilas, tórax, umbigo. A relação entre dermatite seborreica e condição imunológica dos pacientes já foi muito estudada, mas até hoje não se observam anormalidades de relevância no sistema imunológico humoral ou celular dos pacientes com DS. A etiologia hormonal é apontada como causa importante pela conhecida inter-relação de secreção sebácea e estímulo androgênico.

- Dermatite atópica: as anormalidades da barreira cutânea da dermatite atópica são clinicamente observáveis pela presença de pele seca, muito frequente e significativa, que constitui parâmetro diagnóstico e sugere acompanhamento médico. O grau de hidratação da camada córnea e a perda de água transepidérmica (desidratação da pele) estão relacionados com o grau de dano à barreira, assim, constituindo parâmetros biofísicos que permitem acompanhar os pacientes de maneira não invasiva e com maior grau de sensibilidade.

Produtos de uso tópico, dieta rica em anti-inflamatórios, retirada de alergênicos e equilíbrio de nutrientes podem colaborar positivamente no controle da doença.

- Psoríase: é uma doença inflamatória crônica, não contagiosa. Embora suas causas sejam desconhecidas, ela é considerada uma doença autoimune e multigênica. Apresenta como características lesões avermelhadas e descamativas, comumente, em placas que aparecem no couro cabeludo, nos cotovelos e joelhos. Fatores psicológicos, estresse, exposição ao frio, uso de alguns medicamentos e ingestão alcoólica pioram o quadro. Na nutrição, aparecem relatos e alguns estudos que associam com o consumo excessivo ou a sensibilidades ao glúten, porém muitos estudos ainda precisam ser feitos para que haja confirmação, uma vez que se trata de doença autoimune.

- Lupus eritematoso (LE): é uma doença autoimune, ou seja, uma alteração que passa a produzir anticorpos contra as próprias células, assim, provocando inflamação e danificando os órgãos, entre eles, a pele. Sua causa é desconhecida. A doença afeta principalmente as mulheres jovens, já os homens são pouco afetados. Tem como característica a fotossensibilidade, pois a luz solar provoca ou agrava o surgimento as lesões cutâneas. Outro fator desencadeador é o estresse emocional intenso. Existem diferentes formas da doença, o LE cutâneo discoide ou LE crônico, que afeta somente a pele. Outra forma mais grave é o LE sistêmico ou agudo, que afeta a pele e os órgãos internos. Outra forma intermediaria é o LE subagudo, que apresenta lesões cutâneas mais numerosas e envolvimento menos grave dos órgãos internos. Afeta com maior frequência a face, formando lesões planas, de cor avermelhada, rósea ou violácea, descamação e pequenos vasos sanguíneos dilatados na superfície.

- Pênfigo: é uma doença causada por um ataque autoimune contra as estruturas localizadas sobre as superfícies das células epidérmicas que mantêm o contato intercelular e a textura do tecido. As lesões são caracterizadas por bolhas de tamanhos variados, claras, cheias de líquido e, em algumas formas, aparecem placas descamativas. Essa doença acomete o revestimento da boca, a vagina, a pele que recobre o pênis e outras membranas mucosas. Na pele, ocorre da seguinte maneira: há a formação de bolhas sobre a pele normal, em seguida, rompem-se e deixam lesões em crosta e em carne viva. A partir do momento que se rompem as bolhas, elas se tornam infectadas.

Muitas outras doenças estão relacionadas com a pele, porém as dermatites são as mais comuns quando se trata de barreira cutânea.

Featured Posts
Posts em breve
Fique ligado...
Recent Posts
Posts em breve
Fique ligado...

© Copyright 2017. Equaliv

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle