Nutrientes no envelhecimento cutâneo


O envelhecimento do organismo é um processo biológico complexo que ocorre de maneira gradativa. Existem dois tipos de envelhecimento: o envelhecimento intrínseco e o natural, geneticamente determinado. Nesse tipo está presente a redução do suprimento de hormônios sexuais, alterações na produção da melanina, renovação celular comprometida e redução da capacidade antioxidante levando ao estresse oxidativo e a glicação. O envelhecimento extrínseco ou fotoenvelhecimento tem como característica as agressões que a pele sofre diariamente. A poluição, o tabagismo, álcool, exposição solar de forma inadequada, estresse e mudanças na temperatura, alterações que geram este tipo de envelhecimento.

O estresse oxidativo pode ser definido como um desequilíbrio entre os agentes oxidantes e antioxidantes endógenos, o que gera os radicais livres. Os radicais livres, por sua vez, causam danos às estruturas das moléculas e dos componentes celulares, além de lesar lipídios, carboidratos e proteínas.

O processo de glicação, que nada mais é que a ligação entre uma molécula de glicose e uma proteína, geram os AGEs que levam à formação de ligações irreversíveis, lesando e alterando as propriedades bioquímicas das moléculas. A glicação também gera radicais livres no organismo. Uma das principais proteínas danificadas neste processo é o colágeno, responsável pela sustentação da pele. Essa lesão contribui para a rigidez e a perda da elasticidade dos tecidos cutâneos, consequentemente a pele envelhecida se torna mais aparente.

Como as células estão em constante processo de replicação, a melhor forma de prevenir o desgaste celular, muitas vezes causado pela presença de radicais livres, é manter uma alimentação saudável e garantir também o bom funcionamento das funções gástricas, intestinais e hepáticas, responsáveis pela absorção, transporte, distribuição e excreção dos nutrientes, os quais garantirão a boa qualidade da pele, tanto de indivíduos jovens ou mais maduros.

Visto que o envelhecimento cutâneo se traduz na somatória de vários eventos, que ocorrem concomitantemente em todas as camadas da pele (epiderme, derme e hipoderme) e seus constituintes celulares, e considerando as influências do meio externo e da dieta, a adequação nutricional deve estar alicerçada, mais uma vez, na individualidade bioquímica da cada um. Desta forma, independente da idade, sempre serão priorizados os compostos bioativos, vitaminas, minerais e antioxidantes que estão naturalmente presentes na pele, dentre os quais estão as vitaminas C e E, zinco, magnésio, ubiquinol, glutationa, catalase, superóxido dismutase, glutationa redutase.

Os antioxidantes agem diretamente na neutralização ou participam indiretamente de sistemas enzimáticas com a função de neutralizar a ação dos radicais livres, seguem alguns alimentos com função antioxidante para o organismo:

  • A vitamina C continua sendo muito utilizada nas terapias estéticas principalmente como grande auxiliar na formação de colágeno e hidratação da pele, que reflete de forma significativa em sua textura.Embora a capacidade proliferativa e a síntese de colágeno sejam idade-dependentes, o ácido ascórbico de uso oral, por sua grande capacidade antioxidante, é capaz de estimular a proliferação celular e síntese de colágeno independente da idade. Além disso, favorece a microcirculação da pele e tem ação antioxidante. Regula a síntese de colágeno tipo I e III, pelos fibroblastos dérmicos, os mais importantes para a pele.

  • Flavonóides do cacau (Theobroma cacau): contribuem para a foto proteção endógena e auxilia na hidratação da pele, além de contribuir contra efeitos danosos dos raios UVB.

  • Resveratrol: substância bioativa encontrada no suco de uva e vinho tinto, proveniente de uvas rosadas: importante papel antioxidante e anti-inflamatório nas doenças coronarianas e no envelhecimento da pele combate os danos causados pelos raios UVB e auxilia positivamente nos casos de manchas na pele e celulite.

  • Polifenóis do chá verde: auxiliam na formação de colágeno, no emagrecimento, prevenção de manchas na pele causadas por estresse oxidativo e atua na inibição de células cancerosas.

  • Tomate, pela presença da substância ativa, licopeno, diminui o dano oxidativo do DNA. É importante saber que o licopeno é altamente liberado do tomate após cocção, por isso o molho de tomate é uma ótima opção de consumo. Estudos mostram que o consumo diário de 250 ml de suco ou molho de tomate leva a redução de danos oxidativos no sistema imunológico.

  • O açafrão da terra rico em flavonóides, curcumina, apresenta importante ação antioxidante e anti-inflamatória. Nas terapias estéticas é indicado para gordura localizada, manchas e envelhecimento da pele.

  • De todos os alimentos antioxidantes, um que merece destaque é o açaí, fruto da palmeira Euterpe oleracea. Ele tem sido alvo de excelentes estudos demonstrando importante ação antioxidante. Rico em antocianinas e proantocianidinas, além da presença de ômega-3, excelente anti-inflamatório. É Indicado para tratamentos de acne, envelhecimento e celulite. O açaí é um alimento com alta capacidade antioxidante e, devido sua rica composição, pode ter colaboração positiva para muitas doenças e problemas de pele, como acne, dermatite atópica e nos tratamentos anti aging, muitas vezes relacionados com processos inflamatórios. No que se referem à pele os ácidos graxos essenciais promovem a reposição lipídica melhorando a função de barreira cutânea, tendo um papel extremamente importante no restabelecimento do equilíbrio hidrolipídico em peles que apresentam alterações do conteúdo lipídico, e na recuperação da pele lesada.

  • A Ubiquinona ou Coenzima Q10 está presente, além das mitocôndrias, em todas as membranas celulares, considerada o elo vital no fluxo de elétrons para produção ATP. Um déficit de Q10 torna o fluxo de elétrons mais lento, com isso a Q10 disponível fica oxidada e diminui produção ATP, podendo gerar envelhecimento. Possui importante função antioxidante e grande sinergismo coma vitamina E eC. A partir dos 40 anos o organismo começa a perder a capacidade de sintetizar Q10 a partir dos alimentos. Principais fontes são sardinha, damasco, oleaginosas e espinafre.

  • O óleo de macadâmia e de abóbora possui ação hidratante na pele, anti-inflamatória e antioxidante.

  • O ômega-3, excelente anti-inflamatório, é encontrado nos peixes principalmente os de água fria (atum, arenque, salmão, sardinha), nas oleaginosas (castanhas, amêndoas, noz), semente e óleo de linhaça e na semente de chia. Já os outros óleos como girassol, oliva, óleo de coco, gergelim, morango, uva, groselha negra e óleo de noz pecã são muito indicados para manter a qualidade do manto hidrolipídico e antioxidante para peles envelhecidas, mas nem todos apresentam quantidades suficientes de ômega-3.

Além dos antioxidantes citados, segue abaixo breve resumo de alguns nutrientes importantes para a formação e manutenção da matriz extracelular e consequentemente para boa manutenção do colágeno.

O manganês é importante para a manutenção da matriz extracelular, cofator para síntese de colágeno, cofator da superóxido dismutase (SOD); participa do crescimento, manutenção e formação de tecido conectivo e cartilagem. Já o cobre, participa da formação do tecido conjuntivo. Principais fontes são miolo de pinhão, grão de bico, amêndoa, feijões e lentilha.

A vitamina A estimula a reprodução de células epiteliais, estimulam queratinócitos, modula expressão dos diversos genes: gene da queratina, colágeno e fator de crescimento da epiderme.

A vitamina E importante antioxidante, combate os radicais livres com sua ação anti-inflamatória. A combinação de vitamina E e C colabora na formação de colágeno nas terapias antienvelhecimento.

Os nutrientes envolvidos no processo de envelhecimento cutâneo são muitos, porém a escolha deverá partir do profissional que deverá selecionar as prioridades para melhor acompanhamento da terapia.

Featured Posts
Posts em breve
Fique ligado...
Recent Posts
Posts em breve
Fique ligado...

© Copyright 2017. Equaliv

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle