Diabetes, além de medicamentos

 

 

Algumas novidades interessantes têm acontecido no mundo do Diabetes e Diabesidade. Compostos recém-descobertos têm demonstrado propriedades para desligar genes conectados à doença. Não estou falando apenas de medicamentos, mas de alimentos e suplementos que podem modificar suas vidas.

Metade das pessoas com diabetes não sabem que têm a doença e quase todas as pessoas com pré-diabetes não sabem que isso existe. Começo com algumas perguntas: Será que estamos fazendo o diagnóstico correto? No tempo correto? Nossas ferramentas atuais de prevenção e tratamento são eficazes em diminuir os riscos de acidentes cardiovasculares e morte?

Certamente, a redução de açucar no sangue em diabéticos é uma estratégia eficaz para reduzir o risco de morte e doença cardíaca. No entanto, termos açucar elevado é apenas um sinal, não a causa do problema.  O verdadeiro problema aqui é insulina, continuamente elevada, ao longo de décadas, causada a partir de uma dieta rica em carboidratos altamente refinados, um estilo de vida sedentário e de toxinas ambientais.

A maioria dos medicamentos existentes e as terapias com insulina são destinadas a redução de açúcar no sangue.  No estudo randomizado ACCORD, com mais de 10.000 pacientes, o grupo intensivo de redução de glicose não teve menos ataques cardíacos. Na verdade, mais pacientes morreram com tratamento intensivo.  No entanto, continuamos gastando fortunas anualmente ao redor do mundo para atingir os níveis “ideais” de glicemia. Talvez um progresso da ciência, mas na direção errada.

Dieta pode reverter Diabetes?
Comer de uma forma que equilibre o açúcar no sangue, reduza a inflamação e o estresse oxidativo e melhore a detoxificação é a chave para prevenir e reverter a resistência à insulina e diabetes. Esta maneira de comer, baseada em alimentos integrais ricos em fibras, ricos em frutas e vegetais coloridos, e pobre em açúcares e farinhas com uma baixa carga glicêmica, é um modo de alimentação anti-inflamatória, antioxidante, e detoxificante. Ela também inclui uma abundância de ácidos graxos ômega 3, azeite, produtos de soja, feijão, nozes e sementes.

Todos esses alimentos ajudam a prevenir e reverter diabetes e resistência à insulina. Esta é a maneira de comer que transmite mensagens corretas aos genes, promove um metabolismo saudável e previne o envelhecimento e doenças relacionadas a idade, como diabetes e doenças cardíacas.

Controlar a carga glicêmica de suas refeições é muito importante. Você pode fazer isso através da combinação adequada de proteínas, gorduras e carboidratos, em cada refeição ou lanche. É muito importante evitar comer carboidratos de rápida absorção sozinho, por eles elevam seus níveis de açúcar e insulina.

Lembre-se, comida de verdade é SEMPRE melhor. Prefira alimentos integrais e escolha produtos orgânicos, sempre que possível. Coma proteína de alta qualidade, tais como peixes (especialmente gordos). Peixes de água fria como salmão, linguado e sardinha contêm abundância de ácidos graxos essenciais benéficos, os óleos ômega-3 protetores e redutores de inflamação.   Evite quantidades excessivas de carne.  Ovos, sem quantidades abusivas e sem frituras, são uma boa opção também.  Crie refeições ricas em legumes com baixo índice glicêmico, como lentilhas, grão de bico e soja (tente edamame como lanche).  Estes alimentos reduzem a absorção de açúcar o que ajuda a impedir a liberação de insulina em excesso.  

Coma uma variedade de frutas e vegetais frescos e coloridos, cheio de fitonutrientes antioxidantes como carotenóides, flavonóides e polifenóis, que são associados com uma menor incidência de quase todos os problemas de saúde, incluindo a obesidade, diabesidade e as doenças crônicas não transmissíveis.

Gosto dos vegetais de baixo índice glicêmico com características detoxificantes, tais como vegetais crucíferos (brócolis, couve, couve Bruxelas, couve-flor), chá verde, agrião, dente de leão, coentro, alcachofra, alho, casca das frutas cítricas, romã e até mesmo o cacau. Tempere sua comida com ervas, como alecrim, gengibre e açafrão, que são poderosos antioxidantes e anti-inflamatórios.

Com relação às frutas, as vermelhas, cerejas, pêssegos, ameixas, pêras e maçãs são as ideais.  Melões, melancias, uvas e kiwis podem ser consumidos, mas elas contêm mais açúcar que as anteriores. Você pode usar frutas congeladas também em seus shakes de proteína.

Alho e cebola contêm antioxidantes, melhoraram a detoxificação, agem como anti-inflamatórios e ajudam no controle do colesterol e da pressão arterial.

Uma dieta rica em fibras também ajuda a estabilizar a glicemia, diminuindo a absorção de carboidratos e ajudando a obtenção de um aparelho digestório saudável. Tente aumentar gradualmente as fibras para 30 a 50 gramas por dia e use fibra solúvel ou predominantemente viscosas (legumes, nozes, sementes, grãos integrais, legumes e frutas), o que retarda a absorção de açúcar a partir do intestino.

Use azeite extra virgem, que contêm anti-inflamatórios e antioxidantes, como seu principal óleo de cozinha. Aumente a ingestão de nozes e sementes, incluindo as nozes cruas, amêndoas, macadâmia e sementes de abóbora e linhaça.

E quanto aos doces?  Sim ... o chocolate pode ser saudável, também.  Mas, escolha apenas as variedades mais escuras (alta concentração de cacau) e coma apenas um ou dois pedacinhos por dia.  Deve conter cerca de 70% de cacau.

Agora, o que devemos diminuir ou eliminar? Diminuir (ou eliminar) a ingestão de:
todos os alimentos altamente processados; alimentos que contêm farinha branca refinada e açúcar: como pães, cereais matinais, massas à base de farinha, biscoitos, tortas e doces; alimentos que contenham xarope de frutose; adoçantes artificiais; vegetais cozidos com alto índice glicêmico, como batatas e milhos; sucos de frutas industrializados, que são muitas vezes carregados de açúcares; vegetais enlatados processados (geralmente muito ricos em sódio); alimentos que contêm óleos hidrogenados ou parcialmente hidrogenados (que se tornam ácidos graxos trans no sangue), como a maioria dos biscoitos, batatas fritas, bolos, doces, biscoitos, donuts e queijos processados; óleos processados, tais como milho, girassol, amendoim e canola; carnes processadas; peixes predadores e peixe do rio, que contêm mercúrio e outros contaminantes em quantidades inaceitáveis (como o atum). Lácteos devem ser de preferência trocados por leites vegetais (soja, arroz, amêndoa). Álcool se ingerido, deve ser em ínfimas quantidades.

Equilibrar o açúcar no sangue com exercício
O exercício é crítico para melhorar a sensibilidade à insulina. Ele ajuda a reduzir a gordura central e visceral, melhorando o metabolismo do açúcar.  O exercício regular irá ajudar a prevenir a diabetes, reduzir o risco de complicações e até mesmo ajudar a reverter isso.
Idealmente, você deve fazer 30 minutos de caminhada todos os dias. Exercício mais vigoroso e sustentado é muitas vezes necessário para reverter a resistência à insulina grave ou diabetes.  Fazer exercícios aeróbicos, mantido por até 60 minutos 5 a 6 vezes por semana é muitas vezes necessário para obter o diabetes sob controle total.  O exercício intervalado pode ter um benefício adicional para ajudar no seu metabolismo e na função mitocondrial. Ele aumenta a queima de calorias de maneira eficiente durante o tempo que você não está exercendo. O treinamento de força ajuda a manter e construir músculos, o que pode ajudar também no metabolismo do açúcar e geração de energia.

Suplementos que podem ajudar a reverter Diabetes
Os suplementos nutricionais podem ser muito eficazes para a resistência à insulina e para o diabetes Tipo 2.  Gosto de recomendar um número de suplementos diferentes, dependendo da gravidade do problema e personalizando caso a caso. De uma forma geral, seguem algumas estratégias que acho válidas em pacientes com esse quadro metabólico:

 1. Um suplemento multivitamínico e mineral;
 2. Atentar para possível suplementação de cálcio e vitamina D;
 3. Ômega 3 (1000 a 4000 mg) por dia melhora a sensibilidade à insulina, reduz o colesterol, e reduz a inflamação;
 4. Magnésio (200 a 600 mg por dia) ajuda no metabolismo da glicose e é, muitas vezes, deficiente em pacientes diabéticos;
 5. Cromo (500 a 1.000 mcg) é um mineral importante no metabolismo do açúcar, ajudando na redução da resistência à insulina;
 6. Uso de antioxidantes (tais como as vitaminas C e E) reduzindo danos oxidativos da doença.
 7. Vitaminas do complexo B são muito importantes. Vitamina B6 (50 a 150 mg por dia) e B12 (1000 a 3000 mcg) são especialmente úteis na proteção contra a neuropatia diabética. Biotina (2000 a 4000 mcg por dia) pode melhorar a sensibilidade à insulina;
 8. Incentivo o uso de ácido alfa-lipóico (até 300 mg duas vezes por dia), um poderoso antioxidante que pode reduzir significativamente o açúcar no sangue.  Ele também pode ser eficaz para neuropatia diabética;
 9. Óleo de prímula (500 a 1.000 mg duas vezes por dia) ajuda a superar as deficiências comuns em diabéticos;
10. Canela como suplemento pode ser interessante;
11. Outras ervas e suplementos que podem ser úteis incluem o chá verde, ginseng, melão amargo, gymnema, mirtilo, ginkgo, cebola e alho.  O feno-grego pode também ser usado para ajudar a melhorar o açúcar no sangue.

Diabetes é a maior epidemia de saúde secundária à epidemia de obesidade. Todos ou quase todos os esforços médicos para tratá-la estão focados em medicamentos e insulina. Acho que devemos olhar para esse outro lado e através de prevenção ativa dar chance a resultados surpreendentes. Com certeza vale a pena tentar.

 

Saúde a todos!

 

 


 

Please reload

Featured Posts

Gastrite pode ser prevenida com mudança de hábitos

February 28, 2020

1/10
Please reload

Recent Posts
Please reload

© Copyright 2017. Equaliv

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle