Suplementos nutricionais na obesidade


De acordo com a Organização Mundial da Saúde, obesidade é o acúmulo anormal ou excessivo de gordura. Caracteriza-se como uma doença multifatorial que inclui fatores psicológicos, metabólicos, dietéticos, ambientais e genéticos. Essa doença crônica não transmissível constitui um importante problema de saúde pública, sendo que sua prevalência vem aumentando globalmente: estima-se que, em 2025, o Brasil será o quinto maior país do mundo com casos de obesidade.

Embora a obesidade seja multifatorial, sabe-se que o sedentarismo e a alimentação nutricionalmente desbalanceada, com proporções desajustadas de macro e micronutrientes, podem interferir de maneira importante no desenvolvimento da doença. Entre os macro e micronutrientes associados, destacam-se os carboidratos, os lipídios, as vitaminas A, D, C e os minerais cálcio e zinco.

Uma atenção especial tem sido dada aos carboidratos, visto que as taxas de doenças cardiovasculares, diabetes e obesidade têm aumentado nos indivíduos com dietas ricas em energia na forma de carboidratos simples, comparados aos grãos integrais, devido ao fato de influenciarem o índice glicêmico. Já os lipídios tendem a aumentar a densidade energética da dieta, assim, promovendo o superconsumo passivo de energia, além de apresentar baixa prioridade na oxidação, estando associados à baixa saciedade. Portanto, o regular consumo dos lipídios da dieta está diretamente relacionado à sua diminuição da densidade energética, levando à diminuição dos índices de obesidade.

A possível relação da ingestão de vitamina A com excesso de peso pode ocorrer em função do metabolismo da tireoide. A deficiência desse micronutriente tem múltiplos efeitos sobre o eixo hipófise-tireoide em virtude da modulação do metabolismo da glândula tireoide do metabolismo periférico do hormônio tireoidiano e da produção de tirotropina (TSH) pela hipófise. Estudos ainda associam a sua carência à alta frequência de excesso de peso.

A deficiência de vitamina D é um fator de risco independente para a obesidade. Calcitriol (forma ativa da vitamina D) modula a expressão de adipocinas, inibe a expressão de citocinas inflamatórias, reduz o recrutamento de monócitos por pré-adipócitos humanos e restaura a absorção de glicose em adipócitos. Além disso, os receptores de vitamina D (VDR) presentes nos adipócitos permitem a supressão dos níveis de PTH, que podem promover ganho de peso. Em relação à vitamina C, observa-se que essa vitamina modula a lipólise dos adipócitos, regula a liberação de glicocorticoides pelas glândulas suprarrenais, inibe a secreção de leptina e reduz a resposta inflamatória. Possivelmente, todos esses recursos podem estar relacionados com as características antioxidantes notáveis dessa vitamina.

O cálcio possui um papel essencial na regulação do metabolismo energético. As dietas ricas em cálcio atenuam o aumento dos adipócitos e o ganho de peso durante períodos de superconsumo energético. Atenuam, também, o aumento da lipólise durante períodos de restrição calórica – nos quais preservam a termogênese, acelerando a perda de peso. Alguns estudos ainda têm demonstrado que as concentrações de zinco no plasma, nos eritrócitos e no soro de indivíduos obesos estão diminuídas, e que a suplementação com esse mineral poderia auxiliar na redução da resistência à insulina – condição associada à obesidade. Entretanto são necessários mais estudos sobre o tema a fim de se obterem maiores evidências científicas.

REFERÊNCIAS

LINHARES, R. S. et al. Distribuição de obesidade geral e abdominal em adultos de uma cidade no Sul do Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 28, n. 3, p. 438-448, 2012.

MARQUES-LOPES, I. et al. Aspectos genéticos da obesidade. Rev. Nutr., Campinas, v. 17, n. 3, p. 327-338, 2004.

PASCHOAL, V. Suplementação funcional magistral: dos nutrientes aos compostos bioativos. São Paulo: Valeria Paschoal Editora Ltda., 2008.

LEÃO, A. L. M.; SANTOS, L. C. Consumo de micronutrientes e excesso de peso: existe relação? Rev. Bras. Epidemiol., São Paulo, v. 15, n. 1, p. 85-95, 2012.

ROSADO, Eliane Lopes; MONTEIRO, Josefina Bressan Resende. Obesidade e substituição de macronutrientes da dieta. Rev. Nutr. Campinas, v. 14, n. 2, p. 145-152, agosto de 2001.

Tags:

Featured Posts
Posts em breve
Fique ligado...
Recent Posts
Posts em breve
Fique ligado...

© Copyright 2017. Equaliv

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle