Os efeitos dos nutrientes na função cerebral


O sistema nervoso (SN) é constituído por uma rede de comunicações e controle que possibilita ao organismo interagir tanto com o meio externo quanto com o meio interno. As funções gerais do SN incluem a detecção sensorial, o processamento das informações (incluindo aprendizado e memória) e a expressão do comportamento. Esse sistema é dividido em sistema nervoso central e sistema nervoso periférico. Considerado ainda um alvo vulnerável, o sistema nervoso central sofre danos oxidativos causados pelas espécies reativas de oxigênio, principalmente, devido a algumas características próprias desse tecido, tais como o alto conteúdo de ácidos graxos, elevado consumo de oxigênio e regiões com maior acúmulo de ferro, conferindo maior produção de radicais livres.

Diversos nutrientes que atuam na redução de processos neurodegenerativos, proteção antioxidante e estimulação da plasticidade neural têm sido estudados sobre a saúde cerebral, dentre eles, destacam-se os ácidos graxos poli-insaturados – ômega-3, flavonoides, vitaminas e minerais.

O ômega-3, ácido graxo essencial, exerce papel essencial no desenvolvimento e na integridade dos neurônios, nas funções cognitivas, desempenha ação protetora sobre as membranas celulares – mediante sua ação antioxidante –, melhora a ligação dos neurotransmissores aos seus receptores e contribui para a redução do risco de doenças neurodegenerativas. Já o consumo de flavonoides tem papel fundamental em processos cerebrais associados à memória, com propriedades neuroprotetoras, por meio de interações com macromoléculas responsáveis por sinalizações neuronais, essenciais para a diferenciação celular. As vitaminas do complexo B são fundamentais para o desenvolvimento e a manutenção das funções cerebrais, em que a deficiência de B12 e B6 é manifestada por deficit de memória, disfunções cognitivas e demência e transtorno depressivo. Com relação aos minerais, o selênio destaca-se entre os demais devido à sua potente ação antioxidante, assim, atuando como cofator de diversas enzimas, como a glutationa peroxidase, que inibe a ação dos radicais livres e, portanto, contribui para a integridade celular. Ainda, outros componentes nutricionais que podem ser considerados importantes na saúde cerebral são os probióticos em razão da sua ação na microbiota intestinal, na qual interagem, por meio do sistema imunológico endócrino e vias neurais, com o sistema nervoso central, podendo, ainda, ser considerados neuroprotetores.

REFERÊNCIAS

MORITZ, B.; MANOSSO, L. Nutrição Clínica Funcional - Neurologia. São Paulo: VP, 2013.

PASCHOAL, V. Suplementação funcional magistral: dos nutrientes aos compostos bioativos. São Paulo: Valeria Paschoal, 2008.

BARROS, M. P.; POPPE, S. C.; BONDAN, E. F. Neuroprotective properties of the marine carotenoid astaxanthin and omega-3 fatty acids, and perspectives for the natural combination of both in krill oil. Nutrients., Basel, v. 6, n. 3, p. 1293-1317, 2014.

BHULLAR, K. S.; RUPASINGHE, H. P. Polyphenols: multipotent therapeutic agents in neurodegenerative diseases. Oxid Med Cell Longev., Austin, v. 2013, p. 1-18, 2013.

BURCKHARDT, M. et al. Omega-3 fatty acids for the treatment of dementia. Cochrane Database Syst Rev., Oxford, n. 4, 2016.

GUEDES, R. C. A.; MELO, A. P. R.; TEODÓSIO, N. R. Nutrição adequada: a base do funcionamento cerebral. Cienc. Cult., São Paulo, v. 56, n. 1, p. 32-35, 2004.

KEUNEN, K. et al. Impact of nutrition on brain development and its neuroprotective implications following preterm birth. Pediatr Res., Basel, v. 77, n. 1-2, p. 148-155, 2015.

SPENCER, J. P. The impact of flavonoids on memory: physiological and molecular considerations. Chem Soc Rev., London, v. 38, n. 4, p. 1152-1161, 2009.

Tags:

Featured Posts
Posts em breve
Fique ligado...
Recent Posts
Posts em breve
Fique ligado...

© Copyright 2017. Equaliv

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle