Zinco e doenças gastrointestinais

November 29, 2017

A deficiência de zinco é considerado um importante problema de deficiência nutricionalnutrição e estima-se que cerca de 2 bilhões de indivíduos, em todo o mundo, possam sofrer dessa deficiência. A sua prevalência é maior nos países subdesenvolvidos e em determinados grupos de risco, que apresentam maiores necessidades de zinco, como crianças, adolescentes, grávidas, mulheres que amamentam e idosos. Nessa deficiência, ocorrem danos na barreira mucosa do trato gastrointestinal e pulmonar, assim, aumentando a susceptibilidade a infecções. 

 

Há evidências de que a suplementação com nutrientes específicos como o zinco possa diminuir a frequência e a duração da permeabilidade anormal da mucosa intestinal. Diversos estudos indicam que as doenças diarreicas de populações que exibem deficiência de zinco apresentem reduzida incidência se receberem sua suplementação.

 

Um estudo feito por McMillan et al. (2000), com 12 pacientes apresentando câncer gastrointestinal e 12 indivíduos saudáveis, mostrou que concentrações de zinco no plasma dos pacientes foram significativamente mais baixas do que no grupo de indivíduos saudáveis.

 

Federico et al. (2001) analisaram a concentração de zinco no plasma de 60 pacientes com câncer do trato gastrointestinal, antes e após o tratamento quimioterápico, em que os doentes foram divididos em: um grupo que recebeu suplementação de zinco e outro sem suplementação. Antes do tratamento, a concentração plasmática de zinco nos dois grupos de doentes era menor que a do grupo controle de 30 indivíduos saudáveis. Após o tratamento quimioterápico, os pacientes que receberam suplementação apresentaram aumento das concentrações plasmáticas de zinco e relataram diminuição da astenia e aumento do apetite.

 

Poo et al. (1997) compararam pacientes com câncer em alguma parte do trato gastrointestinal, pacientes com doenças digestivas benignas e indivíduos saudáveis e observaram níveis significativamente mais baixos de zinco plasmático nos pacientes com câncer do que nos outros pacientes com doenças benignas e também nos indivíduos saudáveis.

 

Considerando-se que as principais causas de mortalidade infantil, em âmbito global, são as doenças infecciosas, intestinais e a desnutrição, fornecer uma nutrição adequada em zinco, e outros nutrientes como vitamina A e ferro é uma das medidas profilácticas mais eficazes para diminuir as taxas de morbimortalidade em crianças dos países em desenvolvimento. 

 


REFERÊNCIAS

 

Federico, A. et al. Effects of selenium and zinc supplementation on nutritional status in patients with cancer of digestive tract. Eur J Clin Nutr, v. 55, n. 4, p. 293-300, 2001.

 

Mcmillan, D.C. et al. Changes in micronutrient concentrations following anti-inflamatory treatment in patients with gastrointestinal cancer. Nutrition  v. 16, n. 44, p. 425-254, 2000.

 

MARQUES, A. Deficit de zinco no adolescente. Tese (Doutorado) - Curso de Medicina, Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, Coimbra, 2011.

 

POO. J. L. et al. Diagnostic value of the copper/zinc ratio in digestive cancer: a case control study. Arch Med Res. v. 28, n. 5, p. 259-263. 1997.

 

Roohani, N. et al. Zinc and its importance for human health: An integrative review. J Res Med Sci. v. 18, n. 2, p. 144-157, 2013.

Tags:

Please reload

Featured Posts

Gastrite pode ser prevenida com mudança de hábitos

February 28, 2020

1/10
Please reload

Recent Posts
Please reload

© Copyright 2017. Equaliv

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle