Ômega-3 e seu efeito neuroprotetor

May 28, 2018

 

O ômega-3 é um ácido graxo poli-insaturado (PUFA) que exibe propriedades neuroprotetoras já comprovadas. Os constituintes com tais funções são os ácidos eicosapentanoico (EPA) e docosa-hexaenoico (DHA), sintetizados no organismo humano a partir do ácido alfa linolênico, obtido por meio de dieta ou suplementação.

 

Nos últimos anos, a suplementação de ômega-3 vem sendo estudada como uma possibilidade de tratamento/prevenção de doenças psiquiátricas e neurológicas, visto que o DHA representa o ácido graxo poli-insaturado mais importante na constituição do cérebro. Ainda, estudos comprovam a relação entre deficiência de ômega-3 na dieta materna e problemas neurológicos no feto, mais um fator que potencializa a importância de sua suplementação.

 

Os fosfolipídios fazem parte da estrutura básica da membrana de células e organelas. Quando o DHA ocupa a segunda posição do fosfolipídio da membrana celular neuronal, confere a ela maior fluidez, o que está ligado à sinalização das células cerebrais, às propriedades do receptor e à ativação da transdução de sinal pelos receptores.

 

A degeneração tecidual dos neurônios pode ser desacelerada a partir dos efeitos neurotróficos e antiapoptóticos do ômega-3, que incluem a promoção da neurogênese e mielinização. Além disso, esse ácido graxo afeta a função endotelial e sua suplementação reduz a pressão sanguínea em repouso, o que pode atingir a função cerebral por meio dos efeitos no fluxo regional.

 

O EPA é ainda precursor de eicosanoides anti-inflamatórios, que regulam a inflamação, vasocontrição e homeostase. Além disso, age como um competidor inibitório do ômega-6, causando redução na síntese de moléculas pró-inflamatórias. Essas propriedades ajudam a proteger os neurônios dos danos causados pela inflamação, reduzindo  o risco de desenvolver patologias como Parkinson e Alzheimer.

 

Devido aos inúmeros benefícios neuroprotetores, os resultados de estudos indicam que a suplementação ou ingestão via alimento das doses recomendadas de ômega-3 torna-se uma alternativa interessante para prevenção e o tratamento de diversas patologias neurológicas.


REFERÊNCIAS


BOZZATELLO, P. et al. Supplementation with Omega-3 Fatty Acids in Psychiatric Disorders: A Review of Literature Data, 2016. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4999787/>. Acesso em: 16 mar. 2018.

 

CHEN, W.; ZHANG, X.; HUANG, W. Role of neuroinflammation in neurodegenerative diseases (Review). Molecular Medicine Reports, [s.l.], v. 13, n. 4, p.3391-3396, 29 fev. 2016. 

 

LONG-CHAIN. Omega-3 fatty acids and the brain: a review of the independent and shared effects of EPA, DPA and DHA. 2015. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4404917/>. Acesso em: 16 mar. 2018.


MULDOON, M. F. et al. Long-Chain Omega-3 Fatty Acids and Optimization of Cognitive Performance. Military Medicine, [s.l.], v. 179, n. 11, p.95-105, nov. 2014. 
 

Tags:

Please reload

Featured Posts

Gastrite pode ser prevenida com mudança de hábitos

February 28, 2020

1/10
Please reload

Recent Posts
Please reload

© Copyright 2017. Equaliv

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle