Regulação tireoidiana x Microbiota intestinal

June 4, 2018

 

A microbiota do intestino é essencial para garantir a homeostase imunológica e deve estar em equilíbrio constante para promoção da saúde integral. A disbiose é um distúrbio bacteriano intestinal com alta prevalência na população, principalmente, por conta da alimentação inadequada e dos hábitos de vida desregulados. Quando essa homeostase é prejudicada e a disbiose instala-se, o mau funcionamento da barreira epitelial leva a distúrbios intestinais e sistêmicos, sobretudo, imunológicos e metabólicos. 

 

O papel do trato intestinal é essencial no metabolismo de nutrientes, drogas e hormônios, incluindo iodotironinas exógenas e endógenas, bem como micronutrientes envolvidos na homeostase da tireoide. Uma ligação patogênica entre desequilíbrio bacteriano e desenvolvimento de diferentes doenças autoimunes vem sendo cada vez mais elucidada pela ciência, especialmente, a tireoidite autoimune. Além disso, o hipo e hipertireoidismo, frequentemente de origem autoimune, foram associados ao supercrescimento bacteriano do intestino delgado e às alterações na composição da microbiota. 

 

Segundo estudos, o microbioma pode afetar as conversões cruzadas entre o eixo e comportamento hipotalâmico-hipofisário-adrenal. No aspecto oposto, os hormônios endógenos podem modular a capacidade proliferativa bacteriana e a patogenicidade mediante a regulação de neurotransmissores e componentes essenciais. A dopamina, noradrenalina, óxido nítrico e o transmissor inibitório GABA são moléculas originadas a partir dos micróbios luminais que influenciam a rede endócrina. Cerca de 20% do hormônio T4 inativo é convertido a T3 ativo no trato gastrointestinal. Os microrganismos comensais podem converter T4 em T3 sulfato, que pode ser recuperado pela enzima sulfatase intestinal para sua ativação. Os ácidos biliares representam outra conexão entre as bactérias intestinais e a função tireoidiana, principalmente, por conta da sua síntese e metabolização no intestino delgado. Assim, as bactérias formam os ácidos biliares secundários, responsáveis por aumentar a atividade da enzima iodotironina deiodinase.

 

Os lipopolissacarídeos (LPS) são componentes da parede celular bacteriana. Quando a permeabilidade intestinal aumenta, LPS podem migrar para a corrente sanguínea e gerar alterações significativas no metabolismo da tireoide, sendo que o principal mecanismo de desequilíbrio é a inibição da enzima que converte T4 em T3 - iodotironina deiodinase.

 

Estratégias nutricionais devem ser utilizadas rigorosamente na regulação da microbiota, visto que, todos os mecanismos citados podem impactar negativamente no equilíbrio corporal, devido a tireoide ser responsável pela manutenção de todo metabolismo do organismo. 

 

REFERÊNCIAS

 

VIRILI, C.; CENTANNI, M. Does microbiota composition affect thyroid homeostasis? Endocrine, v. 49, n. 3, p. 583-7, aug. 2015.

 

VIRILI, C.; CENTANNI, M. "With a little help from my friends" - The role of microbiota in thyroid hormone metabolism and enterohepatic recycling. Mol Cell Endocrinol., v. 15, n. 458, p. 39-43, dec. 2017. 

 

LERNER, A. et al. Gut-thyroid axis and celiac disease. Endocr Connect., v. 6, n. 4, p. R52-R58, May, 2017.

 

YU, L.; KOENIG, R. Regulation of Hepatocyte Thyroxine 5′-Deiodinase by T3 and Nuclear Receptor Coactivators as a Model of the Sick Euthyroid Syndrome. J Biol Chem., v. 275, n. 49, p. 38296-301, dec. 2000.

 

ZHOU, L. et al. Gut Microbe Analysis Between Hyperthyroid and Healthy Individuals. Curr Microbiol., v. 69, n. 5, p. 675-80, nov. 2014.

Tags:

Please reload

Featured Posts

Gastrite pode ser prevenida com mudança de hábitos

February 28, 2020

1/10
Please reload

Recent Posts
Please reload

© Copyright 2017. Equaliv

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle