Como manter a saúde da mulher mediante a alimentação?


A mulher passa por diversas fases ao longo da vida. Fases que são caracterizadas por expressivas mudanças hormonais e fisiológicas que requerem atenção e cuidados, principalmente, com a alimentação. Dentre as alterações que acometem esse público se destacam algumas como a menopausa e o período pré-menstrual, que promovem efeitos e sintomas em comum.


A menopausa pode ser dividida em fases, sendo caracterizada por alterações hormonais e físicas que merecem estratégias nutricionais específicas. Uma é a fase pré-menopausa, que corresponde ao período em que mulheres com mais de 40 anos apresentam algum tipo de sangramento, e outra é a pós-menopausa, composta por mulheres em idade compatível com a menopausa natural. A osteoporose é uma das principais alterações que acometem mulheres na menopausa. É classificada como uma doença que atinge as mulheres que estão com insuficiência do hormônio feminino estrogênio, assim, promovendo o enfraquecimento ósseo. O Ministério da Saúde (MS) aponta que cerca de 10 milhões de pessoas, no Brasil, são atingidas pela osteoporose, sendo que mais da metade são mulheres e 25% delas em pós-menopausa. Para isso, a alimentação deve ser especialmente balanceada em micronutrientes que promovam aumento da densidade dos ossos, como vitamina D, cálcio, magnésio e fósforo, presentes em vegetais folhosos, sementes e ovos.


Outro efeito comum no organismo da mulher, que pode ser desencadeado nos períodos pré-menstrual, menstrual e menopausa, é a enxaqueca. Aproximadamente 76% das brasileiras sofrem com algum tipo de dor de cabeça semanalmente. Entre as principais causas estão estresse, alimentação desequilibrada e alterações hormonais. Nesses períodos, o organismo feminino produz em excesso um grupo de hormônios responsáveis por dores articulares e musculares, cólicas e dor de cabeça. A nutrição, no caso, também, exerce papel essencial no controle desse desequilíbrio. As vitaminas do complexo B e a vitamina C, presentes em vegetais, grãos integrais, frutas e sucos naturais, podem ajudar na prevenção de crises de enxaqueca, assim, evitando alterações de sensibilidade.


As estratégias nutricionais destinadas à saúde da mulher devem levar em consideração todas as alterações hormonais, físicas e emocionais que atingem esse público em diferentes momentos da vida, assim, promovendo a saúde de forma integral.


REFERÊNCIAS


FEDERAÇÃO BRASILEIRA DAS ASSOCIAÇÕES DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA. SOCIEDADE BRASILEIRA DE MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE. Tensão pré-menstrual. Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina, 2011.


FEDERAÇÃO BRASILEIRA DAS SOCIEDADES DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA. Projeto Diretrizes. Climatério: atenção primária e terapia hormonal. Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina, 2008.

LENCINA, J. R. Enxaqueca: Uma doença incapacitante. 2003. 54 fls. Monografia (Graduação em Biologia) - Centro Universitário de Brasília, Brasília, 2003


NAVES, A. Nutrição Clínica Funcional: Modulação hormonal. São Paulo: VP Editora Paschoal, 2010.


PUJOL, A. P. Nutrição Aplicada a Estética. Rio de Janeiro: Rubio, 2011.

Tags:

Featured Posts
Posts em breve
Fique ligado...
Recent Posts
Posts em breve
Fique ligado...

© Copyright 2017. Equaliv

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle