Riscos do sedentarismo e a importância da atividade física


Mesmo ainda sem embasamento científico e tecnológico, filósofos como Sócrates, Hipócrates e Platão já valorizavam a importância do exercício físico, considerando-o fundamental na manutenção do equilíbrio entre o corpo e a mente. Especialistas da área da saúde sabem em consenso que a atividade física estimula a função dos sistemas cardiovascular, respiratório e musculoesquelético, assim como promove motivação psicológica e sensação de bem-estar.

No entanto, o ambiente moderno com a revolução industrial e tecnológicas tornou o alimento abundante e disponível, gerou automação no dia a dia e modificações no mercado de trabalho, assim como ocasionou falta de tempo destinado ao lazer. Desta forma, estudos apontam que o sedentarismo surgiu como a falta ou a grande diminuição de atividade física e atinge cerca de 70% da população adulta mundial.

Pesquisas médicas demonstraram que a falta de atividade física aumenta a incidência relativa de doença arterial coronariana em 45%, infarto agudo do miocárdio em 60%, hipertensão arterial em 30%, câncer de cólon em 41%, câncer de mama em 31%, diabetes do tipo 2 em 50% e osteoporose em 59%.

O sedentarismo também pode se associar à mortalidade, obesidade, maior incidência de queda e debilidade física em idosos, dislipidemia, depressão, demência, ansiedade e alterações do humor. Em crianças e adolescentes, o sedentarismo também é considerado fator responsável pelo aumento na incidência da obesidade juvenil.

Em contrapartida, aos riscos do sedentarismo e à necessidade de tratar doenças relacionadas a ele, o exercício físico se apresenta atualmente como uma ferramenta segura que, quando prescrita de maneira correta, põe fim à necessidade de uma vasta gama de medicamentos.

Veja mais benefícios da atividade física para deixar o sedentarismo:

  • Tratamento em doenças crônicas: diabetes do tipo 2, hipertensão arterial, osteoartrite, osteoporose, obesidade, câncer, entre outras;

  • Com exceção dos órgãos sensoriais, os demais sistemas podem ser beneficamente estimulados pela prática regular de atividade física;

  • Melhora força, cognição, massa óssea e reduz mortalidade;

  • Controle de peso, motivação psicológica e sensação de bem-estar, que também é fator relevante na prevenção e como suporte terapêutico de doenças crônicas não transmissíveis.

Lembrando que o tratamento do sedentarismo precisa de acompanhamento profissional, com entendimento dos mecanismos moleculares, bioquímicos, fisiológicos e biomecânicos pelos quais a atividade física (e a falta dela) afetam na saúde do ser humano.

OLBRICH, SANDRA REGINA LEITE ROSA ET AL. Sedentarismo: prevalência e associação de fatores de risco cardiovascular. Revista Ciência em Extensão, v. 5, n. 2, p. 30-41, 2009.

GUALANO, B.; TINUCCI, T. Sedentarismo, exercício físico e doenças crônicas. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 25, n. spe, p. 37-43, 1 dez. 2011.

Featured Posts
Posts em breve
Fique ligado...
Recent Posts
Posts em breve
Fique ligado...

© Copyright 2017. Equaliv

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle