A nutrição nos dois primeiros anos de vida


Os dois primeiros anos de vida de uma criança são caracterizados por crescimento acelerado e desenvolvimento de habilidades para receber, mastigar e digerir outros alimentos além do leite materno, além do autocontrole do processo de ingestão de alimentos, que vai ajudar a definir o padrão alimentar na vida adulta. Nessa fase da vida, a alimentação é de suma importância para a saúde da criança.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) preconiza a prática do aleitamento materno exclusivo, desde o nascimento até os seis meses de vida, e a introdução da alimentação complementar a partir desta idade, com manutenção do aleitamento materno até os dois anos.

Esta recomendação, no entanto, muitas vezes esbarra em questões cruciais para as mães, como as dificuldades no manejo do aleitamento materno e a volta ao trabalho após o período de licença-maternidade, impedindo a mãe de oferecer o leite materno por mais tempo.

Em relação à alimentação complementar, o Guia Alimentar para Crianças Menores de 2 anos, do Ministério da Saúde, afirma em suas principais diretrizes a introdução de alimentos complementares três vezes ao dia, se a criança estiver em aleitamento materno, e cinco vezes, se estiver desmamada, ambas a partir dos seis meses. Frutas, tubérculos ou cereais, hortaliças e carnes em geral devem estar sob forma de papas, doces ou salgadas, que devem ser oferecidas com colher ou com copo, no caso de líquido.

O abandono progressivo do aleitamento materno e sua substituição por aleitamento artificial é apontada como um dos fatores responsáveis pela alta morbimortalidade no primeiro ano de vida em países em desenvolvimento, já que o organismo da criança carece dos nutrientes do leite materno. As práticas alimentares inadequadas podem, ainda, afetar a saúde da criança em curto e longo prazo.

Além disso, o consumo de alimentos como açúcar, refrigerantes, chocolate, balas e frituras parece estar cada vez mais associado ao aumento da obesidade de crianças tanto nessa idade, quanto na vida adulta, principalmente por conta da criação de um hábito alimentar influenciado pelos pais.

Dessa forma, as crianças devem ser alimentadas com alimentos de adequada qualidade, que satisfaçam as necessidades nutricionais, protejam contra a absorção de substâncias alimentares estranhas, não excedam a capacidade funcional do trato gastrintestinal e estejam livres de agentes infecciosos. Todas essas características estão presentes no leite humano. A suplementação de vitaminas também pode ser indicada pelo pediatra.

VIEIRA, G. et al. Hábitos alimentares de crianças menores de 1 ano amamentadas e não-amamentadas. Jornal de Pediatria, vol. 80, nº 5, pp. 411-416, 2004

LOPES, W. C. et al. Alimentação de crianças nos primeiros dois anos de vida. Rev Paul Pediat, vol. 36, nº 2, pp. 164-170, 2018

Featured Posts
Posts em breve
Fique ligado...
Recent Posts
Posts em breve
Fique ligado...

© Copyright 2017. Equaliv

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle