Vinho tinto pode fazer bem à saúde


O consumo do vinho fez parte de civilizações bem anteriores à nossa, sendo utilizado de forma medicinal pelo homem há mais de 2 mil anos. Por esse uso, a bebida, que ainda é bastante popular em nossa cultura, é assunto de cada vez mais artigos científicos, que discutem os alegados benefícios à saúde que ela traz.

Um dos principais benefícios dessa bebida é a prevenção de doenças cardiovasculares, em decorrência do potencial antioxidante dos compostos presentes. Dessa forma, o vinho, quando consumido em doses apropriadas e associado às refeições, exerce ação benéfica à saúde, podendo prevenir determinadas doenças. Tudo isso deve ser feito em associação com outros hábitos de vida saudáveis.

Os compostos aos quais foram atribuídas essas ações terapêuticas são conhecidos como compostos fenólicos. Dentre estes, cabe destacar o resveratrol, que foi apontado em estudos científicos recentes como o principal fator de proteção à saúde encontrado em vinhos. Outros compostos, como os flavonoides, quercetina e catequinas, encontrados em grandes quantidades no vinho tinto, também são benéficos.

O consumo do vinho tinto pode diminuir os índices de doenças coronárias em até 60%, já que o resveratrol bloqueia o efeito danoso dos radicais livres e apresenta atividade contra a agregação de plaquetas. A bebida também auxilia no aumento da resistência das fibras colágenas, aumentando assim a ação protetora sobre os vasos sanguíneos.

Já os flavonoides têm ação anti-inflamatória, antialérgica e anticancerígena, ao inibir a síntese do colesterol endógeno, diminuindo a agregação plaquetária e reduzindo os problemas trombóticos.

Portanto, vemos que o vinho apresenta em sua composição altos níveis de compostos benéficos para a saúde.

No entanto, deve-se salientar que o consumo do vinho deve ser de doses terapêuticas: no máximo uma taça por vinho por dia.

MORAES, V. de; LOCATELLI, Claudriana. Vinho: uma revisão sobre a composição química e benefícios à saúde. Evidência, v. 10, n. 1-2, p. 57-68, 2010.

PENNA, Neidi Garcia; HECKTHEUER, Luísa Helena Rychecki. Vinho e saúde: uma revisão. Infarma, v. 16, n. 1-2, p. 64-7, 2004.

PRADO, Ana Karla Miranda et al. Os efeitos do consumo do vinho na saúde humana. Revista Científica Unilago, v. 1, n. 1, p. 109-28, 2013.

Featured Posts
Posts em breve
Fique ligado...
Recent Posts
Posts em breve
Fique ligado...

© Copyright 2017. Equaliv

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle