Antes e Depois - Café e Exercício Físico


A cafeína é um dos suplementos mais utilizados no mundo inteiro. Um dos fatores que explica isso, é o fato de ela estar presente em diversos alimentos, como por exemplo, o tradicional café, chás, chocolates, refrigerantes, bebidas energéticas, entre outros.

Na nutrição esportiva, a cafeína é o suplemento mais investigado pela literatura científica, tendo diversos artigos científicos publicados em revistas internacionais que elucidam o seu efeito na melhora do rendimento esportivo. Essa gama de artigos científicos já publicados pelos investigadores da área, fazem com que a cafeína seja considerada nível A de evidência científica (a melhor categoria) por instituições renomadas no esporte, como por exemplo, o American College of Sports Medicine e o Instituto Australiano de Esporte, que asseguram o seu potente efeito ergogênico, além da segurança no uso.

Hoje, existem diversos mecanismos de ação no qual é explicado a ação ergogênica da cafeína, porém, o principal efeito por trás disso é devido ao papel da cafeína como um antagonista da adenosina. A adenosina quando se liga nos seus receptores, localizados principalmente no sistema nervoso central, promove uma sensação de cansaço e sonolência. A molécula de caféina é muito parecida com a adenosina e tem uma grande afinidade pelos seus receptores, com isso, após a ingestão de caféina, ela se liga nesses receptores no lugar da molécula de adenosina, e assim, evitando a sensação de cansaço e sonolência. Por isso, hoje em dia, o consumo de cafeína é muito associado ao seu efeito energético, que promove uma maior disposição para a prática de exercícios físicos, e assim, seu consumo é primordialmente recomendado em momentos que antecedem essa prática. Mas, hoje em dia, a literatura científica tem demonstrado novidades acerca desse suplemento, e sabe-se que seu uso pode ir além do pré-treino. Isso é o que um recente estudo investigou e observou como resultados a aplicação da caféina também no período intra-treino, em esportes de longa duração. Isso é explicado pelo fato do pico de cafeína acontecer em torno de 60 a 90 minutos após sua ingestão, e em provas de endurance que duram por exemplo 4 horas, suplementar a cafeína 60 minutos antes do fim, pode promover melhores resultados no sprint final, um período tão importante para essas modalidades.

Outra recente descoberta da ciência, é em relação ao uso da cafeína também no momento após o exercício físico. Estudos mostram que a ação desse suplemento vai além do sistema nervoso central, tendo atividade também no músculo esquelético, sendo uma delas, o aumento da translocação de GLUT4 de dentro da célula para a membrana, e assim, otimizando o processo de captação de glicose pela célula muscular. Baseado nesse mecanismo, diversos estudos mostram que a suplementação de cafeína em conjunto a carboidratos pós-exercício físico, promove uma maior taxa de ressíntese de glicogênio, e assim, melhor recuperação muscular.

Portanto, a suplementação de cafeína pode ser aplicada em diversos momentos. Embora seu principal uso seja como um suplemento pré-treino, a literatura científica demonstra resultados positivos com a suplementação intra e após o exercício físico, além de evidenciar a segurança no uso de doses recomendadas.

Featured Posts
Posts em breve
Fique ligado...
Recent Posts
Posts em breve
Fique ligado...

© Copyright 2017. Equaliv

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle